“Só sei que foi assim”

Um livro com histórias para ler ou para cantar e dançar? As três coisas.

O Brasil tem um milhão de traços. E todos eles estão no “Só sei que foi assim”, que a autora Fernanda de Oliveira está lançando pela Editora Melhoramentos. A obra vai conquistar crianças e adolescentes, mas a família toda e também os professores vão se divertir e aprender sobre detalhes de um Brasil tão grande e tão misturado. Fê Liz, como é conhecida, mistura música, dança e literatura para contar como foram criadas 21 cantigas de roda.

O livro é a realização de um sonho de Fê Liz, que faz todo o relato em um tom de conversa fiada ou fofoca. Ela sempre quis concentrar em uma única obra os vários detalhes da cultura brasileira tão peculiar: vários países em um só. Além do livro, “Só sei que foi assim” traz também os vídeos, que podem ser acessados por meio de um QR-code. “Os contos foram surgindo e os personagens tomaram forma ao escrevê-los, surgiram em mim com paixão e vida, porque diziam com leveza e humor muito do dia a dia e tudo que eu já estudei sobre o Brasil”, diz a autora.

O conteúdo do livro é repleto de brasilidades e o formato também. Um dos maiores nomes do cordel brasileiro, o xilógrafo J. Borges, e o filho dele, Pablo Borges, fizeram as ilustrações da obra. O maestro Giordano Pagotti se encarregou dos charmosos arranjos musicais com samba, chorinho, forró, frevo, bossa nova e MPB. Fê Liz canta, dança, anima as 21 músicas. Entre elas Sapo Cururu, Fui no Tororó e Meu Limão, Meu Limoeiro. Cada canção é acompanhada de um conto fantástico sobre sua origem.

A obra reforça a cidadania e a autoestima do brasileiro. “A nossa história estará preservada se nós a contarmos, sempre, a todas as gerações. E a literatura e a música são os melhores caminhos para contarmos de onde viemos”, comenta Fê Liz.

A autora Fernanda de Oliveira ama livros, músicas e crianças desde que era uma. Escreveu o primeiro livro aos oito anos e não parou mais. Hoje é escritora de livros infantojuvenis. Ela, que é autora de mais de 30 títulos para crianças e adolescentes, é também conhecida por Fê Liz.

Os ilustradores José Francisco Borges, mais conhecido como J. Borges, é um dos mestres do cordel, um dos artistas folclóricos mais celebrados da América Latina, e xilogravurista brasileiro mais reconhecido no mundo. Pablo Borges é artista plástico e filho do mestre J.Borges. Desde os sete anos de idade segue a carreira, perpetuando a obra do pai.

O lançamento é da Melhoramentos. Desde 1890, essa editora ocupa posição de destaque nas diversas áreas em que atua, sendo referência no mercado editorial pela qualidade dos seus títulos publicados. À frente do tempo desde sua fundação, ela se distingue pelo pioneirismo, seja na seleção de autores e suas obras, seja no uso de novas tecnologias digitais, como e-book e áudio book.

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *