Dia do Livro Infantil: Monteiro Lobato e as crianças de hoje

No mês do livro, abril, em 18/4 é comemorado o Dia Nacional do Livro Infantil numa homenagem a Monteiro Lobato, escritor que plantou no Brasil as sementes de uma literatura totalmente dedicada às crianças

18 de abril é o Dia Nacional do Livro Infantil. A data foi escolhida para homenagear Monteiro Lobato, o escritor que deu a arrancada inicial para a literatura infantil. Ele nasceu nasceu em 1882, no município de Taubaté, interior do estado  de São Paulo (SP) e atuou também como editor e colaborador de jornais paulistas, além de político defensor de uma das riquezas brasileiras: o petróleo. Escreveu para crianças, jovens e adultos.

Entre as obras que fizeram (e eu acredito que ainda fazem) a alegria de muitas gerações de crianças no Brasil, podemos destacar: Reinações de Narizinho (1921), O Saci (1921), O Marquês de Rabicó (1922), A Caçada da Onça (1924), Viagem ao Céu (1932), Novas Reinações de Narizinho (1933) e O Picapau Amarelo (1939).

Muitas das histórias voltadas aos leitores infantojuvenis desenvolviam-se em um local imaginário, o Sítio do Picapau Amarelo, habitado pela irreverente boneca Emília, o sentencioso Visconde de Sabugosa, a bondosa e disciplinadora Dona Benta, o Marquês de Rabicó e muitos personagens do folclore e das lendas brasileiras.

É uma obra vasta e sempre estudada nas escolas, mas pelo tempo em que foi escrita _ há cerca de 100 anos atrás _ vem sendo analisada por especialistas e compreendida de diferentes formas até mesmo trazendo controvérsias entre eles.

Educadores e profissionais de literatura estão atentos à evolução dos acontecimentos e, este ano, foi preparado um workshop para responder: “Monteiro Lobato: por que e como ler com as crianças de hoje?” Quem vai esclarecer é a escritora, doutora e mestre, Sônia Travassos, da Casa de Histórias, em parceria com o Instituto Quindim. Em dois encontros virtuais, o objetivo é discutir aspectos da obra infantil de Lobato, mostrando porque seus livros são um marco na literatura para crianças no Brasil e se tornaram clássicos.

A doutora e mestra Sônia Travassos em parceria com o Quindim realiza o workshop “Monteiro Lobato: por que e como ler com as crianças de hoje?”

 

As obras de Monteiro Lobato podem ser compartilhadas com as crianças de hoje? O que favorece e o que dificulta a leitura da obra lobatiana? Sônia Travassos também levará para o debate a questão do racismo na obra do escritor: como enfrentá-la no trabalho de mediação da leitura e qual o lugar do professor como importante mediador?

Ela é doutora e mestre em Educação (UFRJ), especialista em Literatura Infantil e Juvenil (UFRJ), mediadora de leitura, e além de escrever, também conta histórias para crianças. É a idealizadora da Casa de Histórias Sônia Travassos (@casadehistorias.st), um espaço virtual para a divulgação da literatura infantil e para a formação continuada de professores.

A primeira turma desse workshop sobre a obra de Monteiro Lobato já começou. O primeiro debate do workshop foi no dia 17/4 e o próximo será 24/4 com as aulas sendo realizadas pela manhã, de 9:00 às 12:00 horas. Segundo Sônia Travassos, está sendo analisada a possibilidade da realização de um segundo worshop para atender a quem não conseguiu se inscrever no que já está em andamento.

A inscrição é R$ 180 (conveniados, ex-alunos do Instituto Quindim e da Casa de Histórias pagam R$ 150; o desconto deve ser solicitado pelo e-mail institutodeleituraquindim@gmail.com) e paga com boleto, Pix, transferência bancária, cartão de crédito e débito. Informações e inscrições Casa de Histórias – Fone (21) 99641-6119.

Trabalhos acadêmicos sobre Lobato

Sônia Travassos assina inúmeras pesquisas em torno da literatura infantil de Monteiro Lobato. Veja a seguir algumas delas e, se desejar estudá-las, basta você clicar no link que acompanha cada uma para ter acesso ao conteúdo.

  • Da sala de dona Benta para a sala de aula: contribuições para pensar a mediação da leitura literária na escola

Esse trabalho acadêmico discute como as mediações da leitura, perceptíveis na obra de Monteiro Lobato, podem se tornar pistas para pensar o trabalho com a literatura na escola. Foram analisadas estratégias de mediação em narrativas lobatianas, assim como a leitura mediada de uma delas, com crianças do 1º ano do ensino fundamental, em uma escola pública brasileira. Como metodologia, realizaram-se leituras de obras de Lobato e de estudos sobre elas, observações participantes e entrevista com a professora da turma.

Bakhtin (1988) e Benjamin (2002) embasam as concepções de linguagem e de sujeito e sustentam questões teórico-metodológicas desta pesquisa. No campo da leitura literária, buscou-se a interlocução com Amarilha (1997), Abramovich (1989), Bajard (2007), Lajolo (1994). Após as análises, destacou-se um conjunto de práticas de mediação que parecem contribuir para o encontro de crianças com a literatura.

“Este é um texto que eu gosto muito _ afirma Sônia Travassos _  pois fala da questão da formação do leitor por dentro da obra do Lobato, em diálogo com a leitura com as crianças na escola real. Este texto foi apresentado na ANPED, um congresso importante na Educação e depois foi publicado nesta Revista Eletrônica CENPEC.”

Link: http://cadernos.cenpec.org.br/cadernos/index.php/cadernos/article/view/348?fbclid=IwAR3vSQrPpMRT75wEuvvfamsXvOc_DfoQqAeJLcXyaOGAH8LL8MDj1iypzhI

  • Dissertação “Lobato Infância e Leitura – a obra de Monteiro Lobato em diálogo com crianças na escola da atualidade” – defendida em 2013, na UFRJ, teve como objetivo geral analisar a obra infantil de Lobato e suas relações com a infância e com a leitura: tanto no âmbito dela própria, como no diálogo com leitores/crianças do mundo contemporâneo.

Que concepções de infância e de leitura são perceptíveis na literatura lobatiana? É possível ler Lobato com as crianças da atualidade? Como a obra infantil de Lobato, escrita a partir de 1920, é lida por crianças de hoje no contexto escolar?

Link da dissertação https://ppge.educacao.ufrj.br/dissertacoes2013/dsoniat.pdf

  • Lobato na escola: tensões e possibilidades

7º Seminário de Literatura Infantil e Juvenil – II Seminário Internacional de Literatura Infantil e Juvenil e Práticas de Mediação Literária. UFSC, 2017.

Link do texto – Página 921 https://literalise.files.wordpress.com/2020/10/7-slij-2016-anais.pdf.pdf

 

  • Personagens leitores do Sítio do Picapau Amarelo – Travessias da Literatura na Escola. Org. Patrícia Corsino. Livro 1ª ed. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2014, v. , p. 67-82. ISBN: 978-85-421-0268-0.
  • Infância e escola: a obra de Lobato e as mediações de leitura – Travessias da Literatura na Escola. Patrícia Corsino. (Org.). Livro 1ª ed. Rio de Janeiro: 7Letras, 2014, v. , p. 155-170. ISBN: 978-85-421-0268-0.

 

  • Entre Sacis e Jecas: um Lobato em busca da identidade nacional- Monteiro Lobato Ideias ao Infinito. Eliana Yunes. (Org.). Livro 1ª ed. Rio de Janeiro: Cátedra UNESCO de Leitura PUC-Rio; Reflexão Editora e Livraria Ltda., 2011, v.1,p.234-253.

 

 

 

 

 

  • Guia do Professor Tesouro Monteiro Lobato – O livro é um guia escrito para um projeto da Editora Globo destinado à divulgação da obra infantil de Monteiro Lobato. O guia, que contou com textos de Sônia Travassos e Claudia Pimentel, discute aspectos importantes de várias obras do autor e sugere também propostas para compartilhar tais leituras com as crianças em espaços educativos e culturais. O projeto teve a coordenação editorial de Cecília Bassarani, Camila Saraiva e Luciana Ortiz de Castro.

 

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *