As histórias de José e Joaquim

Dois livros mostram como o hábito da leitura é importante na infância, pois também ajuda a entender temas complexos como a deficiência física

“Os livros oportunizam inúmeros benefícios: a interação das crianças com o ambiente, familiares, cuidadores, educadores que as cercam, quanto à formação e compreensão de mundo assimilada pelos pequenos. Lendo, contando ou mediando histórias, um universo paralelo abre-se na mente e no coração da criança, despertando saberes e sentimentos.”

A afirmativa é da autora de “O silêncio de Joaquim” e “Os olhos de José”, Marismar Borém, que é também responsável pela Cora Editora, que coloca os dois livros no mercado.

E são tantas histórias para ler e contar, não é mesmo? Pensando nesse universo amplo, recheado de temáticas para as narrativas, a escritora Marismar Borém cultivou a iniciativa de levar enredos sensíveis e importantes para o mundo infantil, através de duas histórias, dois livros, um “duo” de emoções.

“Na sociedade, infelizmente existem assuntos que ainda possuem o hálito da discriminação. Falar sobre deficiência para a criança precisa ser natural, devemos praticar a inclusão,” acrescenta a autora.

Refletindo sobre as palavras acima, para a Organização Mundial da Saúde (OMS), a deficiência é a perda total ou parcial de uma das funcionalidades do corpo. Isso quer dizer que apenas parte do corpo, seja estrutural ou sensorial não funciona como deveria, mas apenas isso.

Sendo assim, conhecendo personagens “diferentes” nos livros, abrilhantamos o entendimento de que cada ser, cada pessoa, é única, pois entende-se que a deficiência é uma condição que alguém possui e isso não resume seu potencial, a sua essência. E aqui estão presentes, nos livros, duas crianças, dois protagonistas que podem nos ensinar a sentir o valor da diversidade.

O silêncio de Joaquim  

Joaquim veio ao mundo um pouco antes do tempo e, por isso, não escutava os sons, as palavras, os ruídos e nem mesmo o canto de um passarinho. Com o tempo, o menino surdo aprendeu a falar de um jeito bem especial: com a língua de sinais.

E, dessa forma, ele escutava muito com o coração e tinha os sons das palavras nos gestos de suas mãos para prosear, narrar histórias e para confidenciar segredos com o irmão. E foi assim que o silêncio de Joaquim se encurtou e ele ficou bastante feliz.

Olhos de José  

José chegou ao mundo sem enxergar as formas, as cores, nem mesmo a luz. O menino, privado de sua visão, buscou um jeito bastante especial para ver as coisas de sua vida. Dessa forma, José era o que mais via, pois aprendeu a versar as letras, as palavras e histórias com a ponta de seus dedos. E de tanto ler, seu coração pedia mais e mais…

O maior sonho de sua vida morava na biblioteca que possui o maior acervo de livros para quem lê em braile. Afinal, o seu amor pelos livros não era cego!

Ambos os livros foram ilustrados por Bruna Lubambo e podem ser comprados na Cora Editora no link https://www.coraeditora.com/product-page/o-silencio-de-joaquim-e-olhos-de-jose

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *