Circo de versos e literatura

O trapezista, ator e diretor Rodrigo Matheus une circo e poesia para falar de diversidade no projeto Circo Mínimo 33 anos

Elenco do espetáculo “Circo de versos” – Fotos: Divulgação

 

Com a carga afetiva conferida por poemas de Adélia Prado, Carlos Drummond de Andrade e Paulo Leminski a números de circo, o novo espetáculo da Cia. tem estrutura de cabaré e traz 9 artistas circenses de diferentes regiões do país, com técnicas e estéticas distintas. Mestre de cerimônias surdo, o ator, poeta e artista visual Fábio de Sá interpreta os textos em Libras.

No elenco estão o cearense João Osmar (trapézio e contorção), a bailarina carioca Mariana Duarte (pole-dance e estafa suspensa), o mineiro Matheus Mendonça (estafa aérea e acrobacia) e a poeta e artista visual catarinense, mestra em teatro Vulcanica Pokaropa (Bambolês), além dos palhaços Alexandre Roit, Giulia Coopper e Pedro Levy. Outras duas peças para a família integram o cardápio da Circulação Circo Mínimo 33 anos: a premiada “Simbad, o Navegante” e o espetáculo de rua “Quixote”.

Referência nacional em sua área (o circo contemporâneo), o premiado trapezista, ator e diretor Rodrigo Matheus criou e assina a direção geral do projeto Circulação Circo Mínimo 33 anos para marcar a trajetória de sua companhia com três espetáculos de circo-teatro, sendo uma estreia (Circo de Versos), uma peça de repertório (Simbad, o Navegante) e outra, criada para a rua, com texto e direção de Alexandre Roit (Quixote).

As peças serão exibidas nos dias 28 e 29 de agosto e 3, 4 e 5, 10, 11 e 12, 17, 18 e 19 de setembro, de sexta a domingo, sempre às 20h. Ao todo são 13 sessões gratuitas para serem assistidas de qualquer lugar, já que terão transmissão online a partir de plataformas virtuais de coletivos artísticos e/ou espaços culturais parceiros da capital (Circo Mínimo e Circo Teatro Palombar, coletivo circense de Cidade Tiradentes) e do Interior de São Paulo: Franca (Espaço Nulo), Jundiaí (Espaço Japi e Coletivo Coisarada), Presidente Prudente (Galpão da Lua) e São Bernardo do Campo (Circo do Asfalto).

A princípio, ocorreria uma turnê presencial dos três espetáculos por cinco cidades do estado de São Paulo, além da capital. Devido à continuidade da pandemia, a circulação foi alterada para o virtual com a exibição da gravação das obras nas redes sociais dos equipamentos ou espaços culturais citados acima.

“Circo de versos” faz sua estreia

A grande novidade é a estreia de “Circo de Versos”, o mais novo trabalho da Cia Circo Mínimo, onde o diretor Rodrigo Matheus une circo e poesia para falar de diversidade. No título, o trocadilho “de versos” aponta para a diversidade que sempre esteve presente no circo brasileiro, ainda que de forma velada, e para a poesia e as imagens propostas pelos nove artistas envolvidos.

“Descobrimos diversos artistas incríveis com qualidades inusitadas e carga emocional forte, de diversas regiões do Brasil,” afirma Rodrigo Matheus. A partir daí, entusiasmado com o potencial artístico da turma que acabara de conhecer, idealizou o espetáculo-cabaré. “Pelas estéticas e conteúdos propostos por esses artistas, decidimos investir na possibilidade de uma união insólita e poderosa de pessoas muito diferentes e talentosas.” A proposta da encenação une os artistas no espetáculo, enquanto valoriza as peculiaridades de cada número individual, entre eles, Tecido Gota, Pole Dance pendular com estafa aérea, Estafa Aérea e Parada de Mãos, Trapézio de um ponto e contorção, Bambolê e palhaçaria.

Elenco de “Simbad, o Navegante” – Fotos: Divulgação

 

“Simbad, o Navegante”, a lenda do marinheiro

Concebido para crianças aventureiras, o premiado espetáculo dirigido por Carla Candiotto incentiva a imaginação ao usar pedaços de bambu para representar penhascos, barcos, aves gigantes, serpentes, ilhas e muito mais. À frente do palco, dois palhaços disputam espaço para contar uma das histórias mais conhecidas da obra As mil e uma noites. A peça ganhou uma série de importantes reconhecimentos do teatro infantil desde 2015.

Dois palhaços contadores de histórias compartilham com o público as aventuras do marujo Simbad, aventureiro que desbravou os mares em busca de riquezas e desafios. A lenda, que já teve adaptações para o teatro e cinema (em formato de animação e live-action), ganhou uma premiadíssima adaptação do Circo Mínimo. Em cena, estão o ator fundador do Circo Mínimo, Rodrigo Matheus (que também assina a dramaturgia da peça) e Ronaldo Aguiar, palhaço, bailarino e acrobata aéreo convidado.

“Simbad, o Navegante” foi o espetáculo mais premiado de 2015 em São Paulo, recebendo os prêmios São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem (antigo Coca-Cola Femsa) de Melhor Espetáculo do Ano, Melhor Direção (Carla Candiotto), Melhor Ator (Ronaldo Aguiar) e Melhor Iluminação (Wagner Freire). Foi o Melhor Espetáculo do Ano segundo o jornal O Estado de São Paulo e segundo melhor espetáculo do ano, de acordo com o jornal Folha de São Paulo. Único espetáculo brasileiro selecionado para participar do IPAY – International Performing Arts for Youth, nos Estados Unidos.

Para adaptar a famosa história do marujo Simbad, foi utilizada a versão de Mamede Mustafa Jarouche, pesquisador, tradutor e professor universitário da USP, que fez a primeira tradução direta do clássico árabe As mil e uma noites para o português. Em sua recriação, o Circo Mínimo manteve o arquétipo peculiar de Simbad. “Ele tem uma paixão pelo desconhecido e não consegue ficar quieto. Simbad está em um lugar e, quando o dinheiro acaba ou quando está entediado, já vai para outro”, conta Rodrigo.

Elenco de “Quixote” – Fotos: Divulgação

 

“Quixote” com palhaços clássicos, gari e morador de rua

A partir de sugestões do Quixote, de Cervantes, Alexandre Roit idealizou uma versão para rua, reduzindo a complexa estrutura original para apenas dois personagens: um gari e um morador de rua. Longe de buscar soluções para problemas sociais, são apontadas possibilidades dramáticas e de conflitos entre o espírito livre de um Quixote, representado pelo nosso “cidadão em situação de risco” e um Sancho enquadrado nas rígidas normas de conduta social, aqui encarnado pelo gari. Entre os objetos de cena destaca-se um tambor de lixo que, fazendo as vezes dos baús de bugigangas, reúne os demais apetrechos manipulados ao longo da montagem.

Criação de Alexandre Roit e produção em parceria com Rodrigo Matheus, para a Mostra Sesc de Artes, o espetáculo já foi apresentado no Festival Internacional de São José do Rio Preto assim como nos festivais de Salvador e Uberlândia, e nos argentinos de Salta, Rosário, Córdoba, Oliva e Corrientes (onde foi apresentado na língua espanhola).

O roteiro está apoiado em dois pilares fundamentais: o primeiro consiste na estrutura dos palhaços clássicos, com suas rotinas cômicas inseridas no contexto dos personagens: um mais ligado aos elementos oníricos da história, o outro mais ligado ao cotidiano das grandes cidades. O segundo pilar se refere à fidelidade a trechos do texto original de Cervantes, no que é possível ser fiel, a partir da tradução reconhecida de Eugênio Amado.

O ponto de partida para a trama é uma promessa: assim que o mundo for conquistado, o mal desfeito e as injustiças aplacadas, nosso Sancho ganhará uma ilha de presente para nela viver tranquilo o resto de seus dias.

“Quixote” retoma a parceria entre Alexandre Roit e Rodrigo Matheus, iniciada em 1988, quando os dois atores criaram o espetáculo Circo Mínimo, que depois batizou a Companhia de mesmo nome. O artifício usado pela dupla, em “Quixote”, é o uso da metáfora que aproxima o cavaleiro utópico a um morador de rua e o escudeiro igualmente sonhador, mas limitado à realidade, ao cotidiano de um gari.

Essa combinação permite aos dois atores a exploração das técnicas circenses que lhes são características: malabares, acrobacia e palhaço para estabelecer uma comunicação direta e energética com o público em que os textos originais de Cervantes são atualizados para um contexto urbano e teatral.

O diretor

Trapezista, ator e diretor, Rodrigo Matheus graduou-se em Artes pela Faculdade Paulista de Artes, Mestre em Artes pela Universidade do Estado de São Paulo com especialização em Artes Cênicas. Criador e diretor artístico do Circo Mínimo em 1988.

Formado em Artes Circenses pelo Circo Escola Picadeiro de São Paulo e Fool Time Circus Arts, da Inglaterra. Participou da fundação do Circus Space, em Londres, em 1986. Um dos idealizadores e diretores da Central do Circo (1999) e do Centro de Formação Profissional em Artes Circenses (2003), ambos em São Paulo.

Dirigiu espetáculos circenses na Inglaterra e na Austrália, além de desenvolver cursos e dar aulas sobre a linguagem circense contemporânea. Hoje é um dos diretores e idealizadores do Espaço Japi | Cultura e Meio-Ambiente.

A sua Companhia de espetáculos de circo/teatro, Circulação Circo Mínimo 33 anos, é referência nacional no circo contemporâneo. Em seus 33 anos de trajetória ganhou prêmios e editais de apoio e fomento à produção artística e tem se destacado na criação de obras que dialogam com a contemporaneidade, o ser humano e a cidade.

Já se apresentou na Espanha, Inglaterra, País de Gales, Escócia, Alemanha, Colômbia, México e Argentina, e em quase todos os Estados brasileiros. Entre seus principais espetáculos estão: Prometeu, Deadly, História de Pescador, João e o Pé de Feijão, Jucazécaju, NuConcreto, Freud – Einstein Maio de 1933 e Simbad o Navegante.

Programação

“Circo de versos” 

Dias 28 de de agosto, às 19h, no Facebook do Grupo Palombar: https://www.facebook.com/Circo.Palombar

Dia 29 de agosto, 20h, nas redes do Circo Teatro Palombar, de Cidade Tiradentes

Facebook do Grupo Palombar: https://www.facebook.com/Circo.Palombar

Dia 4/9, Franca – 20h – Facebook do Espaço Nulo https://www.facebook.com/curtaespaconulo

Dia 11/9, Jundiaí – 20h – Facebook e Youtube Ponto de Cultura Coisarada https://www.facebook.com/PontoCoisarada

Duração: 60 minutos. Recomendação etária: Acima de 14 anos. Classificação: livre. Grátis.

“Quixote”

Dia 3/9, Franca – 20h – Facebook do Espaço Nulo https://www.facebook.com/curtaespaconulo

Dia 10/9, Jundiaí – 20h Facebook e Youtube do Espaço Japi. A confirmar.

Dia 17/9, Presidente Prudente – 20h- Facebook do Galpão da Lua. https://www.facebook.com/PontoCoisarada

Dia 18/9, São Bernardo do Campo – 20h – Redes sociais do Circo do Asfalto. https://www.facebook.com/circodoasfalto

Duração: 60 minutos. Recomendação etária: Acima de 5 anos. Classificação: livre. Grátis.

“Simbad, o Navegante”

Dia 5/9, Franca – Facebook do Espaço Nulo, 20h. https://www.facebook.com/curtaespaconulo

Dia 12/9, Presidente Prudente – Facebook do Galpão da Lua, 20h. https://www.facebook.com/coletivogalpaodalua

Dia 19/9, Espaço Japi, Jundiaí – Facebook e Youtube – 20h. A confirmar

Duração: 60 minutos. Recomendação etária: Acima de 5 anos. Classificação: livre. Grátis. – https://www.youtube.com/watch?v=P0-6QOBcjtc

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *