A trajetória da escritora Isa Colli

Comemorando uma década na estrada literária, autora conta que vocação surgiu na infância

Com lápis e papel ou uma tela de computador, a autora Isa Colli já tem as ferramentas que precisa para transformar as ideias em lindas histórias. Já são quase 40 publicadas e mais de 100 aguardando para serem transformadas em livros. Assim tem sido a vida de Isa Colli desde 2011, quando se lançou na literatura. A escritora, hoje reconhecida internacionalmente, já mostrava talento desde a infância, apesar de ter se profissionalizado há apenas uma década.

Criada no interior, aos quatro anos ingressou na escola Singular de Monte Belo, no município de Presidente Kennedy, sul do Espírito Santo. Desde muito cedo, teve contato com os livros e as histórias infantis, já que sua mãe era uma ótima contadora de histórias, tanto das “cartilhas” que comprava, como das que, em sua simplicidade cheia de criatividade, inventava e contava aos filhos todos os dias antes de dormir.

Viveu parte da adolescência na localidade de Vargem Grande de Soturno e era ativa nas atividades escolares. Quase sempre as suas histórias fantásticas venciam os concursos de redações e poesias. Amava participar dos festejos de 7 de setembro e se lembra com saudade da forçada preparação física realizada diariamente para agraciar o desfile como ginasta. Era uma alegria passar saltando e fazendo piruetas no meio das fileiras dos concentrados alunos marchando ao ritmo da banda. Tudo era motivo de inspiração para o diário de memórias da pequena Isa.

Outras profissões

Por um bom tempo, os escritos ficavam somente acumulados em folhas de papel. E assim Isa foi tocando a vida. Casou-se em 1985 e se mudou para Cachoeiro de Itapemirim, onde viveu com o marido e os dois filhos até meados dos anos 90. Se mudou para o Rio de Janeiro. Em 2001, entrou para o mundo da televisão, na antiga “TVE canal 2”, hoje TV Brasil.

Foi cabeleireira, maquiadora, produtora, trabalhou em rádio e passou por outras emissoras de TV. Até que entrou de licença para se tratar de um câncer. Naquele momento, usou a escrita como forma de aliviar as dores físicas e emocionais. E decidiu publicar uma das histórias criadas neste período: “Um amor, um verão e o milagre da vida”.

Em 2013, lançou o segundo livro, “Os príncipes Primavera, Verão, Outono e Inverno”. O terceiro, “A Lagoa Grinalda, veio logo em seguida. Depois surgiram “A árvore dourada”, “A fada Milena” e “As aventuras da nuvem Floquinho”, infantojuvenil com temática de extrema relevância para a educação atual – um alerta sobre o desperdício de água no planeta.

Em 2016, lançou “O pirulito das abelhas”. Em 2017, apresentou ao público “A fazendinha” e “O recomeço”. Em razão do seu temperamento irrequieto e contestador, ela decidiu dedicar-se somente ao prazer da escrita, refúgio que a mantém motivada e feliz.

Novos desafios

Em 2018, a autora criou sua própria editora, a Colli Books. Lançou pelo novo selo os livros “A gata Penélope”, “O aniversário de Margarida”; relançou “A nuvem Floquinho”, que agora inclui o projeto “Água é vida”, com material de apoio para professor e aluno.

Em 2019, vieram os títulos “Ulisses no Reino das Letras Douradas”, “O Rei está no trono!”, “O elefante mágico e a Lua” (bilíngue), “Luke, o macaco atleta”, “Vivene e Florine e suas descobertas na Amazônia” e o livro de poesias “Fases intimistas”, além de relançar o romance “O recomeço”.

Sempre em movimento

Em 2020, em meio à pandemia, lançou “Pássaro de seda”, “Berta e Nina, “Luke e suas andanças pelo Brasil”, “Maia, a estrela-do-mar” e “Tâmaras e quibes”. Este ano, entraram para sua lista de lançados os títulos “O Reino do Tempo”, “Incêndio no museu” e o mais recente, “Descobertas de Inaiá”.

Seus livros infantis abordam a sustentabilidade e a necessidade de proteção ao meio ambiente, do respeito pelo próximo, da tolerância às diferenças e da valorização do consumo de alimentos saudáveis e sem agrotóxicos, temas importantes numa sociedade que parece caminhar para o caos.

Alguns dos livros da escritora

“O Reino do Tempo”

A fábula, escrita pela autora e jornalista Isa Colli, ensina às crianças a importância de manter o equilíbrio entre a primavera, o verão, o outono e o inverno.

“Incêndio no museu”

O título do livro mostra às crianças a valorização do Museu Nacional, espaço tão importante, que um dia abrigou a família imperial e foi atingido por um trágico incêndio em 2018. É um enredo eletrizante, que mistura realidade e ficção, sem perder a medida.

“Luke e suas andanças pelo Brasil”

Escrito por Isa Colli e ilustrado por Paula Kranz, o livro da Colli Books conta a história de Luke, um macaquinho muito preocupado com a saúde, que descobriu do outro lado das montanhas, na floresta em que morava, muitos animais obesos. Ao final, os pequenos se surpreenderão com um jogo de tabuleiro, que traz uma trilha de hábitos saudáveis, que fará a meninada se divertir ainda mais após a leitura.

“A nuvem Floquinho”

Esse livro conta a história de uma nuvem ambientalista que, ao perceber as consequências das ações humanas para o planeta, se junta a outras nuvens para levar mensagens de conscientização e salvar a natureza.

Três destaques

“A Fazendinha”

Ter um cãozinho é o sonho de muitas crianças. Eles são carinhosos e fiéis companheiros. No livro infantil ‘A Fazendinha’, a protagonista Valentina tem Ulisses como seu amigo inseparável. O cachorro acompanha a menina em todas as suas aventuras. Na história, Valentina vivencia uma emocionante viagem à fazenda do Senhor Zecão. Diversão e aprendizado caminham juntos quando essa garotinha curiosa, seu cãozinho e os amiguinhos experimentam as maravilhas da vida no campo. Tudo é novidade para essa turma da cidade grande, que passa a compreender a necessidade de se manter em harmonia com a natureza.

‘A Fazendinha’ é a dica da editora Colli Books para celebrar o Dia do Vira-Lata, comemorado em 31 de julho. A autora do livro, Isa Colli, chama a atenção para os bichinhos em situação de rua, que ficam mais vulneráveis ao frio e muitas vezes não recebem cuidados básicos como banho, alimentação e vacinas. “O cão é uma ótima companhia para crianças e adultos. Eu mesmo tenho um e sou apaixonada por ele. Então, eu aproveito essa data para fazer um apelo às pessoas que pensam em ter um bichinho de estimação, que procurem os abrigos de cãezinhos abandonados. A adoção será um ato de amor”, diz.

No Brasil, os vira-latas são os queridinhos de muitas famílias. Também conhecidos como SRD’s (sem raça definida), eles não possuem origem genética determinada, resultando na cruza de duas ou mais raças diferentes. Segundo uma pesquisa realizada pelo Instituto QualiBest, os vira-latas estão presentes em cerca de 41% dos lares brasileiros. O Dia do Vira-lata nasceu nos Estados Unidos como uma maneira de conscientizar a população e resgatar milhares de cães sem raça definida. Com o tempo, a data se popularizou em outros países.

“Descobertas de Inaiá”

Os apaixonados pela tradição indígena podem conferir o novo livro da editora Colli Books que acaba de chegar ao mercado editorial:  ‘Descobertas de Inaiá’, da escritora brasileira Isa Colli. A obra conta os desafios e aprendizados da menina indígena Inaiá, quando ela começa a estudar em uma escola fora da aldeia. A chegada da jovenzinha no colégio novo muda a sua vida e a dos colegas de classe. Juntos, eles aprendem as tradições dos povos indígenas, as heranças culturais de diferentes nações e a importância de se respeitar as diferenças.

A história se passa no médio Solimões, na Floresta Amazônica, região rica em cultura e tradições com 185 aldeias, de 21 etnias, entre elas, a tribo Kambeba, onde vive a protagonista. Os Kambeba, originários do Peru, também são chamados de Omágua, que significa o povo das águas. O enredo mostra a riqueza dos rituais religiosos, as lendas, as danças, os costumes, a gastronomia, o artesanato e muitas outras curiosidades passadas de geração a geração pelos povos indígenas.

Uma das histórias contadas no livro é a Lenda dos Jaguares. A outra é a Lenda de Yaci, que significa Lua para os Kambeba. Há também a dança do Kuarup (nome de uma árvore sagrada), realizada em rituais fúnebres; a Acyigua, dança mística do povo guarani, que é feita para resgatar a alma do índio que morre assassinado; Atiaru, ritual feito pelas mulheres para afugentar os maus espíritos e atrair os bons; e a Dança da Onça, só para citar alguns exemplos. “É um livro muito inspirador, que tanto pode ser usado nas escolas para complementar e enriquecer as aulas de história, arte, literatura e língua portuguesa, como também pode ser uma opção de leitura para entreter a garotada em casa nesta pandemia”, afirma Isa Colli.

O livro aborda, ainda, questões delicadas como o bullying, já que Inaiá é rejeitada por um dos colegas de turma. “Falar para adolescentes é para mim um grande desafio. E abordar o bullying é uma oportunidade para promover o diálogo e a reflexão sobre esse tema tão atual e presente na vida das nossas crianças e jovens”, afirma a autora.

“A árvore dourada”

Esse é um livro que ensina a meninada a amar a natureza e a zelar por ela e “perfeito para ser trabalhado em sala de aula principalmente na data de comemoração do Dia da Árvore. A história abre a oportunidade para uma reflexão sobre os cuidados com Meio Ambiente e a conscientização da importância de preservar e cuidar dos recursos naturais” diz a autora Isa Colli.

A “Árvore dourada” é um livro paradidático que aborda o despertar de um garotinho para as belezas da vida. Durante um simples passeio pelo pomar, Juca embarca numa aventura imaginária e muito educativa. Ele aprende sobre a importância de cada ser vivente e se orgulha dos amigos que conheceu nesse cenário mágico e encantador. “É fundamental que as árvores sejam preservadas e que campanhas de educação ambiental sejam incentivadas. Precisamos passar os valores de cuidado e proteção com o meio ambiente para nossas crianças, e que as próximas gerações se beneficiem em viver em um planeta melhor”, ressalta a autora.

A publicação apresenta 39 páginas com ilustrações de Marco Antonio Godoy. É um livro que proporciona uma leitura lúdica que incentiva a criatividade e contribui para o desenvolvimento das crianças.

Lembrete

Todos os livros da editora Colli Books podem ser encontrados facilmente no Brasil, na Europa, e no mundo todo nos principais sites de e-commerce no formato impresso e e-book. Seguem alguns exemplos de lojas: Amazon, Wook, Fnac, Americanas, Submarino, entre outros. Para mais informações acessem o site www.collibooks.com.br

Leia nesse blog a entrevista com Isa Colli no link https://contaumahistoria.com.br/2021/11/isa-colli-uma-escritora-ativa-entre-dois-paises-seus-livros-e-projetos/

Isa Colli: uma escritora ativa entre dois países, seus livros e projetos

 

 

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *