Estudantes produzem livro de colorir

O tema é sobre a Declaração Universal dos Direitos da Criança composta por 10 princípios que protegem direitos essenciais: direito à família, nome e nacionalidade, acesso à moradia, alimentação, assistência médica e saúde, lazer e prática de esportes, necessidades especiais, educação, acolhimento e proteção, não ser explorada nem sofrer discriminação e de brincar – fatores que garantam o pleno desenvolvimento.

Fotos: Divulgação
Entre as ações propostas pelo Colégio Marista de Criciúma para ressaltar a Declaração Universal com os estudantes da Educação Infantil estão uma placa com os 10 direitos da criança e um livro para colorir que será distribuído gratuitamente para escolas públicas e consultórios médicos da cidade e região. De acordo com a coordenadora da Educação Infantil do colégio, Claudia Kochhann de Lima, o objetivo é dar voz às crianças e trazer reflexão para a comunidade.
“Faz pouco tempo que a criança é vista na nossa sociedade como cidadã de direito. O objetivo é dar voz e visibilidade à comunidade interna e externa da escola para sensibilizar o grande compromisso que todos temos com as infâncias, a fim de informar e propagar os conhecimentos dos direitos e deveres para exercermos a nossa cidadania”, explica.

As ações que a comunidade recebe são de iniciativa das próprias crianças. Durante o ano, aconteceram duas assembleias com alunos, pais e professores da Educação Infantil. No primeiro momento os participantes puderam conhecer e debater sobre os 10 direitos da criança. No segundo encontro, os estudantes buscaram soluções para que a declaração dos Direitos da Criança fosse conhecida.

“Ao escutar as crianças sempre nos surpreendemos, pois percebemos o grande potencial, sensibilidade e criatividade que elas têm em criar soluções para os desafios que lhes são lançados. As crianças transformam os ambientes. Basta termos uma escuta atenta e sensível e criarmos espaços de protagonismo para elas”, comenta a coordenadora.

Ela ainda reforça que os adultos devem cada vez mais aprender a escutar as crianças e entender que elas podem participar da sociedade como qualquer cidadão. “As crianças sempre trazem no seu nascimento uma grande novidade, a esperança, um mundo melhor. Elas são cidadãos de direito e merecem respeito, atenção por parte de nós adultos para viverem intensamente as suas infâncias”, conclui.

Baixe aqui o PDF do Livro para colorir sobre os Direitos da Criança e do Adolescente.

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *