“Isadora e o Planeta no Nariz”

A jornalista e escritora Jalmelice Luz lança livro juvenil inspirado na sua 
experiência com a filha

O texto na imagem acima é da sinopse do  livro “Isadora e o Planeta no Nariz”, editado pela Páginas Editora.
A história contada neste livro de 64 páginas, ilustrado por Mariana Tavares, “ressurge como um
 bálsamo, um lenitivo, transbordando aromas, odores, perfumes delicados e porque não fedores indesejáveis,” explica a autora.
O eixo da narrativa envolve uma menina de 13 anos, Isadora, uma adolescente que adora a natureza,
gosta de curtir os aromas descobertos em áreas de preservação, por onde passeia junto com um amigo de escola, uma paixãozinha recolhida. Ela compreende o cheiro das coisas como uma das expressões mais sutis da vida. Contudo, preocupa-se com a irmã ainda bem pequena, Malu, que não tem paladar e não sente cheiro. A menina alimenta-se pelo olhar, o que for mais colorido estará no prato.
“A descoberta da causa daquele desperdício da essencialidade da vida por meio do aroma, de acordo com Isadora, reforçou laços familiares e a libertação da pequena Malu daquele monstro no nariz para ser uma criança saudável e feliz,” acrescenta a autora.
Este livro fala de saúde, afeto e de descobertas. Uma adenoide gigante que obstrui as vias áreas superiores pode ser um transtorno para quem tem e para as pessoas que estão ao derredor. Muitas crianças passam por esse problema que exige uma pesquisa excepcional, com uma metodologia mágica, por uma médica-fada-pediatra.
Jalmelice Luz escreveu, na verdade, sobre uma adenoide gigante que obstrui as vias áreas superiores. “Muitas crianças passam por esse problema que exige uma pesquisa excepcional, com uma metodologia mágica, por uma médica-fada-pediatra”, diz. – Foto Divulgação

“O desejo de escrever essa história para o público juvenil é porque acredito que muitos irão se identificar e se informar sobre a preocupação com o outro, o meio ambiente que nos incluí como pessoas saudáveis e de bem com a vida. O primeiro amor que se revela de forma tímida também é um momento que o público juvenil vivência. A ideia é fruto de experiência em família, com minha filha, que gerou uma via sacra em consultórios médicos e muitos problemas até a descoberta para felicidade geral. É o que desejamos para acabar outros males que afligem a humanidade.”

Participação na Bienal do Livro do Rio
Jalmelice Luz foi uma das convidadas da Bienal do Livro do Rio, realizada de 3 a 12 de dezembro, para apresentar ao público o seu livro “Ruídos”, publicado pela Autografia (RJ), e comenta sobre esse momento que a deixou muito orgulhosa. “O sentimento foi de acolhimento a cada encontro com um leitor. A experiência de uma Bienal como esta foi fascinante, encantadora. Pela oportunidade de estar lá e presenciar a paixão pelos livros. De forma organizada, os cariocas compareceram massivamente ao evento. Mesmo com um sol, que convida ir à praia, ou com chuva que enseja o recolhimento.”

A Bienal do Rio é considerada um patrimônio para os cariocas, uma tradição que se realiza há seis décadas. São 60 anos de muitas histórias como um artista . “Senti esperança de que algo novo está por vir. Quem sabe uma cultura de leitura, de letramento,  que nos instrumentaliza para compreendemos os fatos da vida, o estar no mundo. Ou, lembrando uma música de Chico Buarque de Holanda – Evoé, jovens à vista. Não tão jovem vou querer estar lá  e em outros paraísos literários para novos deslumbramentos,” conclui Jalmelice Luz.

O livro “Isadora e o Planeta no Nariz” foi adotado na cidade carioca Umuarana.

Pode ser adquirido na Páginas Editora https://www.paginaseditora.com.br/product-page/isadora-e-o-planeta-no-nariz.

Indicado para a fai0xa dos 9 a 13 anos e custa R$ 26,60.

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *