Volta às aulas: dicas para readaptação das crianças

Especialista aponta passos para ajudar pais e responsáveis a readaptar os pequenos na rotina dos estudos

Esta semana marcou a volta às aulas na maioria das escolas da rede pública e privada. Depois de um longo período em casa por conta da pandemia e das férias de fim de ano, crianças puderam voltar 100% presencialmente para as salas de aula, seguindo os protocolos de cuidado contra o coronavírus.

Pais e responsáveis se deparam com um desafio nessa retomada: a readaptação dos filhos na rotina de estudos. As férias e o ensino remoto trouxeram uma quebra de rotina e hábitos diferentes. Pensando em ajudar as famílias nessa transição, Pedro Gigante, co-fundador do SuperAutor, projeto pedagógico que transforma crianças em autores de livros infantis, separou 5 dicas para ajudar a readaptar as crianças na rotina escolar. Confira:

1- Tenha paciência com os pequenos: Tenha calma e seja paciente com a criança para que ela encare a volta às aulas da melhor forma possível sem traumas ou estresse. Sair da zona de conforto pode ser assustador, ainda mais por conta dos novos conteúdos, hábitos e desafios que ela encontrará no período letivo. “A pandemia trouxe diversas mudanças em nossos hábitos e se até para nós adultos é difícil a adaptação ao novo normal, imagina para as crianças, que ainda não entendem tudo. Ter calma e respeitar o processo de entendimento delas é essencial”, afirma Gigante.

2- Ajuste o relógio biológico: Nas férias, as crianças costumam dormir e acordar mais tarde, assistir televisão até altas horas da noite e comer em horários diferentes. Só que na volta às aulas, esses hábitos tendem a ser mudados de acordo com a rotina escolar e familiar. Uma boa dica para promover essa transição gradual é começar ajustando o relógio biológico da criança. Caso consiga, vá para a cama mais cedo para dar o exemplo, reduza o contato da criança com aparelhos eletrônicos após às 19h, leia um livro com ela antes de dormir e desperte-a sempre no mesmo horário. “O sono é muito importante para a rotina e, quando ele está desregulado, não tem jeito, tudo fica mais difícil de ser ajustado”, explica o co-fundador.

3- Converse com a criança e ouça suas objeções sobre a volta às aulas: O diálogo é uma das chaves mais importantes na educação infantil, isso porque a criança é muito curiosa e anseia por respostas o tempo todo. Portanto, busque conversar e tente entender a melhor forma de ajudá-la. “Explique exatamente o que vai acontecer, entenda suas dúvidas e ouça suas sugestões”, orienta Pedro.

4- Apresente os benefícios da volta às aulas: Ao longo do tempo, criou-se um preconceito ligado à volta às aulas e muitos adultos já têm isso enraizado em seu repertório cultural. Quando um conceito já faz parte de uma sociedade, ele é passado de forma implícita para as próximas gerações. Muito desse medo que as crianças têm de voltar às aulas é gerado por essa cultura já existente. Sabendo disso, podemos ajudar mostrando os benefícios e o lado bom de voltar para a escola. Assim, a criança terá mais facilidade para se adaptar. “Você pode romper isso, tratando a escola como um ambiente agradável, mostrando os benefícios do estudo para sua vida, relembrando que a criança reencontra os amigos e envolvendo-a na preparação da mochila e do lanche”, sugere Gigante.

5) Simule a rotina escolar em casa: Essa dica é para aquelas famílias em que as crianças ainda não retornaram às aulas. Nos dias que antecedem esse retorno, uma boa prática é simular a rotina escolar em casa. Não se trata de encher a criança de exercícios e não deixá-la descansar. A ideia não é sobrecarregá-la. Você pode trabalhar atividades mais lúdicas e divertidas, ter horários para isso e criar uma rotina. Algumas possibilidades são participar de projetos de alfabetização, como SuperAutor, que estimula a leitura e a escrita, passeios culturais, atividades ao ar livre e outros estímulos que ajudem a trabalhar a mente e não se acostumar com o ócio. “Isso ajuda e muito a voltar à rotina escolar, porque não haverá uma quebra tão brusca de hábitos”.

SuperAutor

O SuperAutor é um projeto pedagógico que transforma crianças em autores de livros infantis. Com isso, ajuda educadores a desenvolverem a capacidade criativa dos alunos por meio da escrita, transformando sonhos em realidade. Além da modalidade desenvolvida nas escolas, o projeto oferece um formato em que as crianças podem construir seus livros em casa, com acompanhamento de familiares.

O projeto foi fundado em 2019 e iniciou a operação de forma massiva em 2020, ano de declínio da educação no país por conta da pandemia. Atualmente o projeto conta com mais de 2.000 escolas cadastradas atendendo crianças nas cinco regiões brasileiras, já produziram em média mais de 50 mil livros e 200 mil produções. Além disso, o projeto transformou cerca de 80 mil alunos em autores no último anos.

Continue lendo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *